Skip to main content
  • Broadway de Nashville
    Ver mais

    Nashville, Tennessee: berço da dessegregação

  • Stax Museum of American Soul Music
    Ver mais

    Memphis, Tennessee: rumo à liberdade

  • Centro de Oxford, Mississippi
    Ver mais

    Oxford, Mississippi: marco literário

  • Greyhound Bus Station na Freedom Trail
    Ver mais

    Jackson, Mississippi: hino do ativismo

  • Ponte Edmund Pettus
    Ver mais

    Selma e Montgomery, Alabama: a marcha

  • Centro de Tuskegee
    Ver mais

    Tuskegee, Alabama, a Albany, Georgia: feito militar e cantoria

  • Forsyth Park
    Ver mais

    Savannah, Georgia: charme costeiro

  • Chama eterna no King Center em Atlanta
    Ver mais

    Atlanta, Georgia: legado do Dr. King

  • mural no centro de Birmingham
    Ver mais

    Birmingham, Alabama: reflexões sombrias sobre o passado

National Civil Rights Museum at the Lorraine Motel
Ver mais

A histórica trajetória pelos direitos civis

  • Distância da rota:
    2.757 km
  • Tempo recomendado:
    1-2 semanas

Traçando uma rota pela história no sul dos Estados Unidos

A luta dos negros nos EUA pela igualdade racial chegou ao auge nas décadas de 1950 e 1960, quando protestos não violentos encontraram uma resistência arraigada e a turbulência tomou conta de grande parte do sul dos EUA. Este tour por quatro estados passa por trechos da Civil Rights Trail, visitando cidades célebres e vilarejos pacatos, caminhos cobertos de musgo e represas ribeirinhas, tudo para homenagear os heróis daqueles tempos imprevisíveis.

01
Broadway de Nashville
Ver mais

Nashville, Tennessee: berço da dessegregação

Pegue um voo para Nashville, alugue um carro e comece sua excursão no Woolworth Theatre (Teatro Woolworth). Em 1960, a lanchonete Woolworth's era onde estudantes universitários negros se reuniam para organizar protestos – hoje, o estabelecimento é um local histórico registrado onde você pode ver shows conceituais em meio à arquitetura original. Entre os locais mais fascinantes da cidade: os Witness Walls (Murais das Testemunhas), retratando as marchas e os Freedom Rides (Passageiros da Liberdade) que ajudaram Nashville a se tornar a primeira cidade dessegregada do sul.

Como não se pode viver apenas da história, ouça alguns dos famosos sons da cidade em um bar de música country na Broadway ou na aclamada casa de shows Station Inn, conhecida por suas apresentações de bluegrass e roots. Passeie por entre as exposições que celebram nomes como Dolly Parton, Johnny Cash, Patsy Cline e outras lendas na Country Music Hall of Fame (Galeria da Fama da Música Country), depois, experimente uma autêntica especialidade de Nashville conhecida como sanduíche de frango quente. Uma versão picante do clássico sulista, é servida em restaurantes como o Prince's Hot Chicken Shack há gerações.

341 km
3 horas de carro
02
Stax Museum of American Soul Music
Ver mais

Memphis, Tennessee: rumo à liberdade

O romancista Alex Haley, autor do famoso romance que virou série de televisão "Roots: The Saga of an American Family" (Negras Raízes: A Saga de uma Família) sobre os ancestrais africanos de sua família, cresceu na pitoresca cidade de Henning, Tennessee, a apenas uma hora de Memphis. No caminho para a cidade, pare para fazer uma visita ao Alex Haley Museum and Interpretive Center (Museu e Centro Interpretativo Alex Haley) e saiba mais sobre as histórias da família Haley que inspiraram o vencedor do Prêmio Pulitzer.

Dirija por mais uma hora até a badalada cidade de Memphis, no rio Mississippi, conhecida por Elvis, pelo churrasco e pelo blues da Beale Street, mas também por ser um importante centro dos direitos civis. No Slave Haven Underground Railroad Museum (Museu Ferroviário Subterrâneo de Refúgio dos Escravos), o porão escuro denota claramente o desespero dos fugitivos que se esconderam no local por semanas, esperando para escapar para o norte. Eventos mais recentes se desenrolam no National Civil Rights Museum (Museu Nacional dos Direitos Civis), construído em torno do Lorraine Motel, onde Martin Luther King Jr. foi assassinado em 1968.

Mas também há um lado feliz da história aqui, profundamente enraizado no blues e na música soul que colocou esta cidade no mapa. Confira o Stax Museum of American Soul Music (Museu Stax de Música Soul Americana), perto da rua principal conhecida como Beale Street, onde você ficará com vontade de dançar diante das exposições. Em seguida, desça a rua para se deliciar com as tortas de batata-doce no The Four Way, um dos restaurantes favoritos da lenda do soul Aretha Franklin. E nem pense em sair da cidade sem provar a carne de porco defumada – excelentes churrascarias como a Charlie Vergos' Rendezvous ou a Central BBQ são as preferidas comprovadas.

138 km
1,5 hourde carro
03
Centro de Oxford, Mississippi
Ver mais

Oxford, Mississippi: marco literário

Siga ao sul até Oxford, Mississippi, uma cidade universitária adornada de carvalhos conhecida por suas livrarias, seus laços com o romancista William Faulkner e pela estátua de James Meredith, que ganhou um caso na Suprema Corte por se tornar o primeiro afro-americano a frequentar a University of Mississippi (Universidade do Mississippi). Peça um espetinho de frango no icônico posto de gasolina Four Corners Chevron – um favorito de gerações de estudantes universitários famintos – antes de fazer uma visita solene às ruínas da mercearia Bryant's Grocery & Meat Market, na cidade de Money. Em 1955, o assassinato de Emmett Till, de 14 anos, acusado de flertar com uma comerciante branca, deu início ao movimento pelos direitos civis.

259 km
2,5 horas de carro
04
Greyhound Bus Station na Freedom Trail
Ver mais

Jackson, Mississippi: hino do ativismo

Com uma viagem descontraída de duas horas de carro até Jackson, a comovente capital do estado, você chegará ao Mississippi Civil Rights Museum (Museu dos Direitos Civis do Mississippi), um impressionante novo tributo interativo à causa, que inclui um espaço central no qual "This Little Light of Mine", o hino não oficial do movimento, poderá deixar você comovido. Preste sua homenagem aos Freedom Riders (Passageiros da Liberdade) na estação de ônibus Greyhound na Lamar Street. A polícia acabou prendendo mais de 400 dos jovens ativistas que desafiaram a segregação nos ônibus públicos.

317 km
3,5 horas de carro
05
Ponte Edmund Pettus
Ver mais

Selma e Montgomery, Alabama: a marcha

Siga para o leste até Selma, no Alabama. O nome é familiar da marcha pelo direito ao voto de 1965, durante a qual as autoridades locais reagiram violentamente às multidões. Sob a proteção da United States National Guard (Guarda Nacional dos Estados Unidos), oito mil manifestantes finalmente chegaram a Montgomery a pé dias depois. Você pode dirigir por todo o percurso de 86 quilômetros da National Historic Trail (Trilha Histórica Nacional), mas comece atravessando a Edmund Pettus Bridge (Ponte Edmund Pettus), que os manifestantes inicialmente tentaram atravessar e encontraram resistência. Em Montgomery, preste homenagem à mulher negra que se recusou a ir para o fundo de um ônibus no Rosa Parks Library and Museum (Museu e Biblioteca Rosa Parks).

251 km
3 horas de carro
06
Centro de Tuskegee
Ver mais

Tuskegee, Alabama, a Albany, Georgia: feito militar e cantoria

A menos de uma hora ao leste, há uma excepcional história digna de louvor em Tuskegee, lar dos aviadores da Segunda Guerra Mundial que foram os primeiros soldados afro-americanos treinados como pilotos no Army Air Corps (Corpo Aéreo do Exército) – e que, portanto, abriram caminho para a inclusão nas Forças Armadas dos EUA. O Tuskegee History Center (Centro Histórico de Tuskegee) oferece uma retrospectiva fascinante das lutas que levaram à fundação do campo de treinamento no Tuskegee Institute (Instituto de Tuskegee) e também do papel mais amplo que esse feito marcante desempenhou na luta para acabar com a discriminação racial nos anos que se seguiram. Depois, continue em direção ao sudeste até Albany, na Georgia, lar dos Freedom Singers, cuja versão de "We Shall Overcome" é um coro dos direitos civis há mais de 50 anos; vale a pena conferir os shows mensais no Albany Civil Rights Institute (Instituto dos Direitos Civis de Albany).

360 km
3,75 horas de carro
07
Forsyth Park
Ver mais

Savannah, Georgia: charme costeiro

Embarque em mais uma viagem ao leste até o Oceano Atlântico – considere fazer uma parada em Midway para um almoço de churrasco e uma visita à Historic Dorchester Academy (Academia Histórica de Dorchester), onde Martin Luther King Jr. esteve para ensaiar seus discursos e relaxar. Savannah é uma das preciosidades do sul, uma cidade costeira de praças floridas, ruas de paralelepípedos e mansões graciosas. Obtenha um panorama de seu papel na história negra no Ralph Mark Gilbert Civil Rights Museum (Museu dos Direitos Civis Ralph Mark Gilbert), localizado em um prédio que já foi o maior banco totalmente para negros da região. Reserve um tempo para explorar as galerias e brewpubs da River Street e da Factors Walk e aprecie drinques ao pôr do sol vendo os navios de carga passarem.

399 km
3,75 horas de carro
08
Chama eterna no King Center em Atlanta
Ver mais

Atlanta, Georgia: legado do Dr. King

Ao amanhecer, parta para uma viagem de quatro horas a Atlanta, onde você deverá ficar por alguns dias. Esta grande metrópole abriga o enorme aquário Georgia Aquarium, com tubarões-baleia, o museu World of Coca-Cola, com degustações de refrigerantes, e o parque público Centennial Olympic Park, que conta com fontes sincronizadas. Mas o local mais significativo é o centro e instituição comunitária The King Center, que inclui a casa onde Martin Luther King Jr. nasceu e a cripta onde ele e sua esposa estão enterrados. O novo National Center for Civil and Human Rights (Centro Nacional de Direitos Civis e Humanos) coloca muitos dos locais que você visitou em um contexto brilhante. Se você fizer uma visita em um domingo, poderá assistir aos cultos na Ebenezer Baptist Church (Igreja Batista Ebenezer), onde King pregou até sua morte.

236 km
2,5 horas de carro
09
mural no centro de Birmingham
Ver mais

Birmingham, Alabama: reflexões sombrias sobre o passado

De Atlanta, você pode seguir a rota dos ativistas de 1961 que embarcaram em um ônibus da Greyhound para disputar os assentos segregados e foram atacados em Anniston, Alabama. O Freedom Riders National Monument (Monumento Nacional dos Passageiros da Liberdade) marca o local onde o ônibus foi queimado e os passageiros espancados. Continue a oeste por mais uma hora até Birmingham, a maior cidade do Alabama, para conferir o Birmingham Civil Rights Institute (Instituto dos Direitos Civis de Birmingham), que abriga algumas das lembranças mais importantes do movimento: fontes de água "brancas" e "coloridas", fotos tiradas pelo fotojornalista Spider Martin da marcha de Selma e as grades da cela atrás das quais King redigiu sua famosa "Carta da prisão de Birmingham". Fora da cidade, o sopé da cordilheira dos Apalaches é um convite à reflexão em meio às cachoeiras e aos rododendros antes da volta para Nashville.