Skip to main content
The Bronx, New York City
1 de 1
  • Estados:
    Nova York

Colorido e cosmopolita: explorar o Bronx, berço do hip hop

A cantora e compositora francesa Laetitia Sheriff está a viajar pelos EUA na senda da música, da história e da cultura. A seguir, na sua turnée, está um dos bairros menos visitados de Nova York: O Bronx.

"Nova Iorque é uma das maiores cidades do mundo e, claro que queria visitar, mas queria conhecer um dos seus bairros menos conhecidos, por isso fui até ao Bronx... o único bairro que pode dizer que é o berço do hip hop!

O Bronx é a casa do hip hop e tem a reputação de ser o coração da cultura das ruas de Nova Iorque, por isso não é surpresa descobrir que é um bairro colorido e diversificado e, na verdade, um dos destinos mais vibrantes e emocionantes dos EUA.

Durante a visita, Laetitia mergulhou de cabeça em tudo o que o Bronx tem para oferecer, conseguindo realizar uma peregrinação imperdível pelo hip hop, uma visita à casa onde viveu Edgar Allan Poe e um passeio pelos jardins botânicos durante o curto tempo que lá passou. Este bairro tem algo a oferecer para todos e é uma mudança agradável em relação aos superlotados sítios turísticos de Manhattan.

(Big Pun Christopher Rios) mural
Ver mais

A História do hip hop

Numa noite quente de verão, há quase meio século, um DJ chamado Clive Campbell tocou numa festa no seu prédio, equipado apenas com um amplificador de guitarra e dois pratos giratórios. E assim, a 11 de agosto de 1973, nasceu o hip hop no n° 1520 da Sedgwick Avenue em Morris Heights, no Bronx.

A inovação foi a técnica agora omnipresente das pausas: tocar uma faixa com dois pratos de giradiscos e girar repetidamente um dos discos até à pausa. Escusado será dizer que foi uma tempestade, e os fãs de hip hop agora acorrem aqui para verem o lugar onde Campbell, agora lembrado como DJ Kool Herc, teve esta grande idéia.

Laetitia fez uma visita indiscritível da zona residencial com a lenda do rap, Grandmaster Caz: "Diverti-me muito com este grande homem, que é rico em anedotas e muito simpático," disse ela. "Ele preocupa-se com esta cultura musical e faz tudo para manter intacta essa memória". Os visitantes do Bronx podem até mesmo fazer uma turnée com o próprio Grandmaster Caz - ele faz ocasionalmente de guia para a Hush Tours.

The Bronx Walk of Fame
Ver mais

A não perder: um resumo dos nossos destinos favoritos no Bronx

Da arte e cultura à música e aos museus, no Bronx não faltam coisas para fazer. Aqui está uma seleção dos sítios preferidos de Laetitia:

  1. Dê um passeio pelo Arthur Avenue Retail Market, no coração da Little Italy do Bronx (Belmont). Muitos nova-iorquinos acreditam que este é o único lugar da cidade onde se pode encontrar pão, massas, charcutaria, bolos e café verdadeiramente italianos. Os comerciantes locais vão impressioná-lo com o seu incrível conhecimento e o que está em exposição é tanto um banquete para os olhos como para o estômago.
  2. Ao pensar no Bronx, você vai, sem dúvida, evocar imagens de uma paisagem urbana implacável. No entanto, é também o lar do Jardim Botânico de Nova York, o maior dos EUA e um verdadeiro oásis na cidade. "É um mundo próprio", diz Laetitia, "Tem 250 hectares de pântanos, jardins e paisagens exuberantes, é o lar de mais de um milhão de plantas!
  3. Ondas sucessivas de imigração no Bronx moldaram a cozinha do bairro, que é tão variada quanto os seus habitantes. Os visitantes que querem expandir os horizontes culinários devem experimentar lugares como o ganês "Ebe Ye Yie" - que significa "Vai ficar tudo bem" - onde os comensais são incentivados a comer com as mãos. Laetitia também recomenda "La Morada", um tradicional restaurante mexicano onde experimentou autênticos tacos e umas especialidades da cidade de Oaxaca. "O restaurante também organiza workshops artísticos para as crianças da região, acrescenta Laetitia.
  4. A casa de Edgar Allan Poe está situada, de uma forma algo incongruente, entre as altas elevações do Grand Concourse. Este humilde chalé foi onde o autor viveu de 1846 a 1849 e onde escreveu várias obras. Poe e a esposa Virginia mudaram-se para o chalé na esperança, vã, de que sua localização no campo curaria a tuberculose dela. A casa foi salva da demolição em 1913 e mudada para o outro lado da rua.
  5. A equipa de beisebol do Yankees é 27 vezes campeã da World Series, e tem a sede no Estádio Yankee, no Bronx. Aqui, não só pode assistir a um jogo de beisebol de nível mundial, como também pode fazer um passeio com alguns dos guias mais experientes e conhecedores.
New York Botanical Garden
Ver mais

Trilha sonora da cidade

Inspire-se nesta trilha sonora local, na sua visita ao Bronx:

  • DJ Kool Herc era o DJ-ing na festa de regresso à escola da sua irmã, em 1973, no Bronx, quando inventou a técnica de utilização de vários discos para permitir que as pessoas dançassem por mais tempo. Graças a isso, é conhecido como o "Pai do Hip Hop". Ele faz uma aparição em "Sacrifice" (2008) da Substantial.
  • El Manicero" ("o vendedor de amendoins"), tal como foi gravado pela Orquestra do Havana Casino de Don Azpiazu (1930), é tido como o criador da moda da rumba, após ter sido tocada no Teatro RKO Palace do Bronx.
  • Um grupo de raparigas do liceu do Bronx cantou "He's So Fine" (1963) do jovem compositor Ronnie Mack sob o nome, agora lendário, de "The Chiffons".
  • "I Like it Like That" foi um sucesso para o músico Pete Rodriguez, que nasceu no Bronx, em 1967.
  • Thelonious Monk viveu em Lyman Place, no Bronx. O seu filho, TS Monk, aponta a obra "Epistrophy" (1941) como uma das melhores obras de jazz do pai.
  • O nome diz tudo: "Bronx Keeps Creating It" (1995) de Fat Joe.
  • Lost in the Flood" (1973), de Bruce Springsteen, uma música sobre a Guerra do Vietname, com personagens do Bronx.

 

Explorar mais